Mensagem do padre » 01/12/2011

Como vem esse Rei?

Não há dúvidas: Jesus é Rei , e fez essa impressionante experiência de viver uma vida humana. O amor se fez carne. O Rei, aquele pelo qual todas as coisas foram criadas, veio ser gente, veio ser filho, veio ser menino, veio ser homem.
De lá, junto do Pai, ele assumiu a missão de nos santificar, de nos salvar e de nos apontar o caminho da salvação. Mas como vem esse Rei?
Poderia vir cheio de glórias, cercado de soldados para lhe proteger de todos os males e perigos; poderia nascer em uma nação livre e ser soberano de seu povo. Mas como vem esse Rei?
Vem menino, tão frágil. Vem como uma criança em Belém da Judéia, um lugar distante, de vida difícil, em um país sob a dominação de um opulento império romano. Nasce em um país dominado, uma nação escrava, um entre tantos meninos com poucas chances de sobreviver ao primeiro ano de vida.
Poderia ser filho de alguém importante, algum rei ou governador, ou mesmo filho de um dos sacerdotes do templo que lhe poderiam dar sorte melhor, infância melhor, vida adulta mais garantida. Mas como vem esse Rei?
Vem filho de uma jovem, uma Maria como muitas marias em Judá. Uma jovem cheia de esperanças, de uma fé inabalável, de uma coragem em assumir os projetos de Deus colocando sua vida a serviço da vontade do Criador. Vem de uma mãe simples, de um pai carpinteiro, um homem que sofreu as preocupações de se ter um filho em meio a uma nação cujo futuro era tão indefinido. Veio filho de uma dona Maria e de um seu José, uma simples criança de Nazaré.
Poderia vir cercado de louvores, esperado com festa, desejado por todos. Ao nascer, a cidade comemoraria com dias ininterruptos de alegria, com músicas, comidas, e danças. Como vem esse Rei?
Veio no silêncio, veio na recusa de um lugar, veio em um estábulo, na manjedoura, com exceção dos animais e de alguns pastores, ninguém comemorou o nascimento do novo Rei que nasceu. Ao invés de ouro fino e lençóis macios, palha e o carinho no colo da mãe. Como testemunhas a criação, as estrelas e os anjos.
O Rei que veio, que vem e virá, ainda espera encontrar um lugar no seu coração. E de lá nascer e trazer o real significado das coisas. Mostrar o que é celebrar o Natal de fato, dar-lhe o sentido verdadeiro de sua vinda. Mostrar que tudo aquilo que se mostra ser Natal hoje, não é em nada aquilo que ele planejou ou fez. Qual Natal você vai celebrar em sua casa?
Nós, os padres, agentes de pastoral, voluntários e funcionários pedimos a Deus que o seu Natal seja o Natal de Jesus, o verdadeiro e único Rei de nossas vidas.

Padre Pedro Luiz Amorim Pereira

Tags: