Mensagem do padre » 02/10/2014

“ Fazei tudo o que Ele vos disser” (JO 2,5)

“FAZEI TUDO O QUE ELE VOS DISSER”(JO 2,5)

nsraNeste mês de outubro, comemoramos o dia da nossa padroeira, Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Todos os devotos conhecem a antiga história da aparição da imagem, recolhida por pescadores no rio Paraíba, em 1717, e dos muitos milagres ocorridos após a descoberta da santa. Esta bela história também está contada nas paredes da nossa igreja na forma de graciosas pinturas.

Mas os devotos da Rainha, que querem honrá-la e agradecer a ela os milagres e graças recebidos, devem lembrar-se do testamento dela, ou seja, das suas últimas palavras nas Sagradas Escrituras, nas bodas de Canaã, quando foi realizado o primeiro milagre de Jesus: “Fazei tudo o que Ele vos disser”. (Jo 2,5)

A devoção mariana, portanto, nos leva necessariamente ao encontro de Jesus, e a obediência ao caminho por Ele indicado no Evangelho. O amor a Nossa Senhora não se restringe a uma devoção externa, mas a gestos concretos, na escolha definitiva de um caminho na nossa vida particular e pública, fazendo o que Jesus nos ensinou. Mas como fazer isso? Como saber o que Jesus quer que façamos nas nossas vidas? Primeiro, devemos encontrar dentro de nós os dons que recebemos de Deus, e colocá-los à disposição de Nosso Senhor e de sua Igreja.

Todos nós recebemos de Deus a vocação à santidade. E essa vocação interior deve ser estimulada pela oração, pela leitura orante da Palavra de Deus, pelo recebimento regular dos sacramentos, e um desejo latente de abandonar o pecado e deixá-lo morrer na cruz em cada confissão e celebração eucarística que participamos.

Devemos ainda encontrar meios de levar a esperança e alegria do Evangelho dentro de nossas famílias, no trabalho, na escola, para os amigos. Assim, certamente iremos nos transformar, dia após dia, em testemunhos vivos de fé. Não é uma escolha fácil, mas Jesus já nos avisou que não seria. “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome cada dia sua cruz e siga-me” (Lc 9,23). Mas Jesus, também sabendo das nossas fraquezas e da dificuldade do caminho, nos deu um incrível presente, sua própria mãe: “Eis aí a sua mãe”.(Jo 19, 27)

Acolhidos então pelo amor da Mãe, nos acalmamos e aceitamos com mais tranqüilidade todas as cruzes que atravessam nossas vidas. Ela nos dá o animo necessário para descobrir nossas vocações, nos carregando no colo, nos abraçando em seu coração maternal e nos consolando nas aflições.

Ela, que “Junto à cruz de Jesus estava de pé”,(Jo 19, 25) nos dá a fortaleza que precisamos e a coragem para enfrentar os desafios e permanecer de pé diante das nossas cruzes cotidianas (ainda que de braços dados com ela!!!), e ainda assim, continuar enxergando o propósito salvífico da fé e a recompensa eterna do céu! Portanto, façamos o que ela pede, e neste mês dedicado a Senhora Aparecida, Nossa Rainha, vamos dar um salto na nossa devoção e nos dirigir a Jesus, com confiança, para perguntar: “Senhor, o que queres que eu faça?”

Silvia Maria Munari Pontes – Pastoral Vocacional