Notícias » 01/02/2018

O milagre que levará Madre Clélia Merloni à beatificação

Na última sexta-feira, o Papa Francisco recebeu em audiência o Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato, ao qual autorizou a promulgação de alguns decretos, o que incluía o reconhecimento de um milagre atribuído à intercessão da Madre Clélia Merloni, fundadora do Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus.

Com o reconhecimento, Madre Clélia poderá ser declarada Beata em Consistório ordinário público. O anúncio foi recebido com festa pela Congregação, que tem forte presença no Brasil.

O Vatican News quis saber da Conselheira do Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus,  Irmã Maria de Lourdes Castanha (atualmente residindo em Roma) como foi recebida a notícia:

“Com muita alegria, muita festa, muita oração, ação de graças. Até agora nosso coração está repleto de gioia (alegria) por esta notícia tão esperada por nós”.

O milagre

“É um milagre que aconteceu em Ribeirão Preto, no Estado de São Paulo, no Brasil, em 20 de março de 1951. É um médico que foi atingido por aquela doença – Síndrome de Landry – que vai paralisando todos os músculos, a começar pelos pés e vai até a garganta, e quando a pessoa não pode mais respirar, engolir… mata a pessoa enfim.. não tem nada para fazer.

E naquela época no Brasil não tinha todos os recursos para essa cura. E o médico estava morrendo. Tanto que no dia 20, um médico de plantão disse para a família: é a última noite do paciente, porque ele não conseguia engolir nada.

E aí a família ficou desesperada. Tanto que a esposa dele pediu para a Irmã que estava lá de plantão, a Irmã Adelinda Alvez Barbosa, que fizesse alguma coisa e ela deu uma oração para ela de Madre Clélia, uma novena, e a Irmã e toda a família, a esposa Dona Angelina, fizeram esta novena.

E nesta novena também tinha uma relíquia de Madre Clélia…alguns fiozinhos do hábito que ela usava, e aí essa irmã conseguiu colocar um fio desta relíquia, deste tecido, em um pouquinho de água e colocou na boca, e ele com muito esforço conseguiu engolir. E assim que ele engoliu esta relíquia, ele já não deixava mais sair a saliva pela boca, aí viram que ele conseguia já engolir alguma coisa, daí a irmã deu uma colherinha de água e ele engoliu, depois deu um pouquinho mais de água e ele engoliu também … tanto que foi preparar na cozinha… e deu leite antes prá ele, e depois foi preparar um mingauzinho prá ele e ele conseguiu comer.

Tanto que o médico, quando chegou de manhã – isto tudo foi à noite – chegou de manhã e viu o paciente ali bem e falou: é um milagre! … a medicação em si não faria aquilo, que já não havia feito em tantos dias. Ele se internou no dia  14, e isto aconteceu no dia 20.

Este foi então o milagre que ele depois se recuperou. Dentro de 20 dias ele já caminhava, tudo normal, não ficou com nenhuma sequela, e veio a falecer em 25 de setembro de 1986, de uma parada cardíaca. Nenhuma relação com a doença que ele havia tido anteriormente. Este foi então o belo milagre, por ser um médico também já é quase um milagre, que um médico recebe uma milagre,  mas isto foi realmente o que aconteceu”.

Os próximos passos para a beatificação

“O Papa então já assinou este decreto, agora deve se conversar com o cardeal prefeito. Penso que é assim, porque a nossa Madre que deve fazer isto e ela está no Brasil, está retornando e chega dia 31, combinar com o cardeal para ver a agenda dela, mas me parece que tem um período de 6-8 meses que a Congregação deve preparar-se.

Nós já estamos fazendo isto desde setembro do ano passado, envolvendo todas as irmãs, todos os leigos, numa catequese de dez temas relacionados com à nossa fundadora, de todas as pessoas – que são mais de quatro mil leigos que já vivem a nossa espiritualidade – junto com eles e as irmãs a gente já está então mensalmente tendo esta catequese, para preparar este momento. Mas acredito que tem um tempo que a Igreja – não é assim imediato – a gente pensa que será depois da metade do ano. Eu não posso precisar nenhuma data pois não conversamos sobre isto ainda. Mas será este ano com certeza, será em 2018”.

Irmã Clélia, poderosa intercessora

“Eu só gostaria de dizer que a Madre Clélia realmente é uma pessoa que está muito junto do Coração de Jesus e que ela intercede… A gente tem … de muitas graças, no sentido de mães que não podem ter filhos e pedem a ela e logo ficam grávidas, pessoas doentes que ficam curadas, pessoas que têm dificuldades em emprego. Enfim, nossa Madre é poderosa e se pedir ela ajuda. Realmente que as pessoas nos ajudem também a rezar, agradecer a Deus por este dom que a Igreja também recebe na pessoa dele e nós todas, por esta beatificação e pelo bem que ela poderá fazer na Igreja agora sendo mais conhecida”.

Por Vatican News