Mensagem do padre » 06/01/2016

São Paulo, Patrono de nossa Arquidiocese

São Paulo ou Paulo de TarsoSão Paulo, ou Paulo de Tarso, nasceu possivelmente no ano 10 da era cristã e segundo a tradição teria sido martirizado em Roma, na grande perseguição de Nero por volta do ano 60 da era cristã.

A figura de São Paulo é muito significativa para compreendermos a expansão do catolicismo nos primeiros séculos. Nascido em Tarso da Cilicia (região da atual Turquia) São Paulo é um judeu, filho de judeus (Atos 23,6) que está distante da Judeia. Trata-se dos judeus da diáspora. Nos primeiros séculos da era cristã o povo judeu já se espalhava pelo oriente e Europa.

Em várias cidades existiam sinagogas e, ao lado das mesmas o povo judeu mantinha sua tradição, fé e costumes.

São Paulo teria ido a Jerusalém estudar com um grande rabino, Gamaliel, que é reconhecido por sua sabedoria (Atos 22,6), possuía Cidadania Romana e sem dúvidas era um judeu zeloso, quase que um fanático, a ponto de concordar com o martírio de Santo Estevão (Atos 8,1) e dirigir-se a Damasco para perseguir os cristãos.

Após sua conversão no ¨Caminho de Damasco¨ (Atos 9) modificou intensamente sua vida. O mesmo zelo que possuía para defender o judaísmo foi aplicado na difusão do cristianismo. Como São Paulo possuía uma cultura Greco/Romana dedicou-se a levar a Boa Nova da salvação aos judeus da diáspora.

Quatorze epístolas suas estão no cânon do novo testamento. Suas cartas são cruciais para compreendermos não só a fé católica, mas servem como subsidio histórico para estudiosos uma vez que são mais antigas que os evangelhos.

No fim de sua vida foi para a sede do Império, Roma, onde viveu em uma casa alugada, foi julgado e condenado a morte. Como era cidadão do Império não podia sofrer a morte vexatória e dolorosa que foi dada a São Pedro. São Paulo foi decapitado fora dos muros da Cidade Eterna onde foi erigida a basílica de São Paulo Fora dos muros.

Sob a intercessão de um Santo, outro santo, queria fazer um povo Santo:

Quinze séculos após sua morte o caráter apostólico de São Paulo influenciou os Padres Manoel da Nobrega e São José de Anchieta a vir ao Brasil, subir a serra do mar, adentrar até o planalto de Piratininga e criar uma missão com objetivo de levar o santo evangelho de Cristo para os silvícolas.

Dia 25 de janeiro comemoramos o aniversário dessa grande cidade e celebramos o Apostolo dos Gentios. Comobons paulistanos louvemos São Paulo e peçamos sua proteção a esta metrópole que nasceu pela iniciativa de um padre santo que queria levar os habitantes deste planalto para o céu.

Pe. João Paulo Rizek
Vigário Paroquial