Mensagem do padre » 14/09/2015

Setembro: Mês da Bíblia

biblia-sagradaNeste mês dedica-se uma especial atenção a Bíblia.

Como é de conhecimento de todos a bíblia é constituida de Velho e Novo Testamento; o Velho Testamento possui 46 livros e o Novo Testamento 27, todos escritos sob inspiração de Deus e, sob essa mesma inspiração deve ser interpretada.

Mas como ter certeza que a interpretação da bíblia é feita sob a luz do Espírito Santo de Deus e não estamos fazendo uma interpretação nossa, egoista, limitada pelos nossos conceitos e pré conceitos?

A Bíblia é validamente interpretada quando a realizamos em espírito de Igreja, “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” (Mt 18:20), ou seja, não basta estar reunido, mas devemos estar reunidos “Em Nome de Deus”.

Tal interpretação é valida observando duas valiosas heranças que nos foi permitida pelo bom Deus: o Santo Magistério e a SantaTradição. Tanto o Magistério quanto a Tradição devem ser coerentes com a Sagrada Escritura para serem legítimos.

Como exemplo de Magistério legitimo podemos pegar a passagem de Atos dos Apóstolos capítulo 15, o chamado Decreto Apostólico de Tiago, onde os discípulos reunidos discutiam a conversão dos pagãos e se estes dever iam ser ou não circuncidados anteriormente ao batismo. Nesta passagem, após citar as escrituras (versículo 28) São Tiago toma a palavra e diz: “Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias”

Nesta passagem podemos verificar como o Santo Magistério caminha junto com a Sagrada Escritura e, em contexto de Igreja, é licito aos sucessores dos apóstolos (os bispos em união com o bispo de Roma – O papa) legislar para o
bem do povo de Deus.

A Santa Tradição é muito mais que uma série de ritos ou costumes imemoriais, a tradição verdadeira refere-se ao termo latino Traditio que é a passagem de algo. Um exemplo da Tradição que nos une a Cristo é a chamada Sucessão
Apostólica onde um bispo é ordenado pela imposição das mãos de um outro bispo, que, por sua vez, recebeu a imposição das mãos de um antecessor. Desta forma, a Tradição mostra que ela (Igreja) vem dos Apóstolos e a fé que ela anuncia aos homens chegaram até nós pela sucessão dos bispos. Somente a Igreja católica Apostólica Romana e a Igreja Ortodoxa possuem essa linha ininterrupta de sucessão que culmina nos apóstolos.

A interpretação bíblica também é feita com legitimidade observando aquilo que nos foi escrito por grandes santos e padres do passado, que debruçaram-se sobre a Sagrada Escritura com amor e piedade.

Concluindo, devemos amar e conhecer a Sagrada Escritura, mas devemos, igualmente, amar e conhecer o que nos ensina a Igreja de Cristo sobre ela.

Padre João Paulo Risek