Mensagem do padre » 04/05/2012

Somos salvos em Jesus Cristo

A temática da salvação é a realidade central que dá unidade a toda a Bíblia: isso porque toda a Bíblia consiste de inúmeros relatos de experiências salvíficas realizadas pelas diferentes gerações do povo de Israel, transmitidos através de gêneros literários dos mais diversos. Basta ver a experiência marcante na libertação do Egito, a travessia no Mar Vermelho, os quarenta anos no deserto, os vários exílios, sobretudo o babilônico, os juízes, os profetas, Jesus Cristo, seus discípulos e as primeiras comunidades cristãs. Essas tais realizações salvíficas significam sempre maior integridade do ser humano por meio da libertação de males bem determinados.

Já a perspectiva salvífica de Jesus desconcertou seus contemporâneos: Jesus desconcertou seus contemporâneos principalmente porque o centro de sua pregação que era o Reino de Deus não correspondia ao esperado pelo povo de sua época. Para o povo judeu, dentro de um sistema de peregrinação vigente, o Reino de Deus tem conotação política, com a libertação das forças opressoras. Porém, Jesus nunca alimentou o nacionalismo judeu. O seu reinado não é particularizado a um só tema – o político. Seu Reino é universal e para sarar todas as dimensões cósmica, humana e social. Ver as parábolas do grande banquete (Mt 22, 1-13; Lc 14, 16-24) e a dos trabalhadores da vinha (Mt 20, 1-16). O Reino não é apenas futuro e utopia, é um presente e encontra concretizações históricas. O Reino não quer ser outro mundo, mas este transformado em um novo. Exemplo disso são os milagres feitos por Jesus que visam mostrar que o Reino já está presente e fermentando dentro do velho mundo. Jesus desconcertou mais ainda pela gratuidade escandalosa dos seus gestos: basta ver os milagres de Jesus, que são próprios de sua maneira de viver no meio do povo.

A fé em Jesus é, portanto, condição fundamental para a experiência de salvação: primeiro, precisamos ver que a salvação, para que tenha sentido para as pessoas, deve ser, sobretudo, uma realidade experimentada e não algo que esteja somente no plano racional ou intelectual. Visto que o próprio cristianismo surgiu de uma realidade experimentada pelos primeiros discípulos junto ao próprio Cristo. De maneira tal que, essa mesma experiência salvífica vem ao longo dos anos dando sentido e unidade à existência daqueles que a experimentam. Portanto, a experiência salvífica é resultante do encontro com Jesus Cristo vivo. É Ele, e somente Ele que pode atingir a totalidade da existência humana e dar sentido, plenificar às suas mais diversas dimensões.

Padre Tiago Gurgel do Vale